Formada para reagir à pandemia, a grande articulação em defesa da Saúde Pública cresceu, credenciou-se e enfrentará o desafio de lutar pela reconstrução do SUS. Três reuniões realizadas durante o Abrascão apontaram os primeiros passos para a nova fase

 

Outra Saúde esteve presente, com sua equipe, em todos os dias do Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, que aconteceu entre 19 e 24 de outubro em Salvador. Pela intensidade da programação, grandes debates ficaram de fora de nossas páginas. Mas muito ficou registrado em textos e vídeos de outras entidades que estavam conosco dividindo os computadores da sala de imprensa (e os festejos no fim dos dias). Abaixo, selecionamos alguns deles.

Os desafios e perspectivas do SUS
Por Danielle Monteirona ENSP
A mesa Sistema Único de Saúde: desafios persistentes e perspectivas teve a apresentação de estudos sobre temas como a importância dos agentes comunitários, modelos de gestão na APS, territórios vinculados a Equipes de Saúde da Família, eficiência da Atenção Primária e Programa Mais Médicos.

Fiocruz debate crise ambiental
Por Suzane Durães, na VPAAPS
Para debater o tema A tripla expressão da crise ambiental: mudança climática, ruptura da biodiversidade e poluição, estiveram reunidos a jornalista e escritora Eliane Brum, o médico sanitarista e fundador do Projeto Saúde e Alegria, Eugênio Scannavino e o coordenador do Programa de Saúde, Ambiente e Sustentabilidade da Fiocruz, Guilherme Franco Netto.

Saúde digital, neoliberalismo e as ameaças ao SUS
Por Inês Costal, no Observatório de Análise Política em Saúde
A discussão sobre a relação entre saúde digital e neoliberalismo foi central na mesa-redonda Saúde digital pode ser uma ameaça ao SUS?. O reuniu pesquisadores das áreas de tecnologia, direito e ciências sociais, que apresentaram um panorama e possíveis implicações do cenário que envolve o uso de dados e a saúde digital no país.

Desafios da Covid longa para o SUS
Por Danielle Monteiro, na ENSP
Metade das pessoas diagnosticadas com covid-19 apresentam sequelas que podem perdurar por mais de um ano, de acordo com alguns estudos. A doença e seus desafios para o SUS e a proteção social foi o tema de uma das diversas mesas redondas realizadas no 13º Congresso da Abrasco.

Como diferentes países têm enfrentado a pandemia de covid-19?
Por Inês Costal Patrícia Conceição, no Observatório de Análise Política em Saúde
Pesquisadores que têm se debruçado sobre as respostas de diferentes países à pandemia de covid-19 se encontraram em debate.

Abrascão 2022 expõe linha do tempo da pandemia
No Laboratório Audiovisual ISC
Quais os fatos políticos, institucionais e sanitários que mais marcaram o curso da pandemia no Brasil? É o que propõe evidenciar a Linha do Tempo da Pandemia de Covid-19, uma iniciativa de pesquisadores do Instituto de Saúde Coletiva da UFBA e da Rede CoVida, em parceria com diversas instituições de pesquisa do país. O painel compõe a Mostra Covid, espaço do 13º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva dedicado à exposição de fotos, experiências sensoriais e divulgação de informações sobre a pandemia.

Estudo indica que políticas de transferência de renda reduzem a mortalidade por AIDS
Por Clarissa Viana, no Cidacs
As políticas de transferência de renda são capazes de reduzir significativamente a morbidade e a mortalidade por Aids, sobretudo, em populações extremamente pobres, chegando a diminuir em 39% a mortalidade. A pesquisa vinculada ao Cidacs analisou os efeitos do Bolsa Família na mortalidade por Aids entre a população mais pobre.

Dossiê ao governo de transição reforça a importância da agroecologia
Por Bruno Dias, na Abrasco
O Grupo Temático Saúde e Ambiente da Abrasco e integrantes da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos entregaram o Dossiê Abrasco Contra o Pacote do Veneno e pela Vida e outros documentos aos representantes do GT Saúde da equipe de transição do governo federal.

“É na diversidade que se constrói a democracia”: interseccionalidade e políticas públicas
Por Letícia Maçulo, na Abrasco
Diante dos desmontes e ataques ao financiamento dos sistemas de saúde e de educação sofridos nos últimos anos, o debate foi central para acolher demandas das populações vulnerabilizadas e traçar estratégias para uma retomada democrática que inclua a população brasileira e toda sua diversidade.

 

fonte: https://outraspalavras.net/outrasaude/como-foi-o-13o-abrascao/


Receba Notícias

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Cfemea Perfil Parlamentar

logo ulf4

Violência contra as mulheres em dados

Rita de Cássia Leal Fonseca dos Santos

Ministério do Planejamento
CLIQUE PARA RECEBER O LIVRO (PDF)

marcha das margaridas agosto 2023

Recomendamos a leitura

Estudo: Elas que Lutam

CLIQUE PARA BAIXAR

ELAS QUE LUTAM - As mulheres e a sustentação da vida na pandemia é um estudo inicial
sobre as ações de solidariedade e cuidado lideradas pelas mulheres durante esta longa pandemia.

legalizar aborto

Artigos do Cfemea

Eleições: O “feminismo” de fundamentalistas e oligarcas

Candidaturas femininas crescem no país, até em partidos conservadores. Se o atributo de gênero perde marcas pejorativas, desponta a tentativa de passar ao eleitorado uma receita morna de “defesa das mulheres” – bem ao gosto do patriarcado

A pandemia, o cuidado, o que foi e o que será

Os afetos e o cuidar de si e dos outros não são lugar de submissão das mulheres, mas chave para novas lutas e processos emancipatórios. Diante do horror bolsonarista, sangue frio e coração quente são essenciais para enfrentar incertezas, ...

Como foi viver uma Campanha Eleitoral

ataques internet ilustracao stephanie polloNessa fase de campanha eleitoral, vale a pena ler de novo o artigo que Iáris Cortês escreveu uns anos atrás sobre nossa participação em um processo eleitoral

Dezesseis anos da Lei 11.340, de 07/08/2006, Lei Maria da Penha adolescente relembrando sua gestação, parto e criação

violencia contra mulherNossa Lei Maria da Penha, está no auge de sua adolescência e, se hoje é capaz de decidir muitas coisas sobre si mesma, não deve nunca esquecer o esforço de suas antepassadas para que chegasse a este marco.

Como o voto feminino pode derrubar Bolsonaro

eleicoes feminismo ilustracao Thiago Fagundes Agencia CamaraPesquisas mostram: maioria das mulheres rechaça a masculinidade agressiva do presidente. Já não o veem como antissistema. Querem respostas concretas para a crise. Saúde e avanço da fome são suas principais preocupações. Serão decisivas em outubro. (Ilustração ...

Direito ao aborto: “A mulher não é um hospedeiro”

feministas foto jornal da uspNa contramão da América do Sul, onde as mulheres avançam no direito ao próprio corpo, sociedade brasileira parece paralisada. Enquanto isso, proliferam projetos retrógrados no Congresso e ações criminosas do governo federal

As mulheres negras diante das violências do patriarcado

mulheres negras1Elas concentram as tarefas de cuidados e são as principais vítimas de agressões e feminicídios. Seus filhos morrem de violência policial. Mas, através do feminismo, apostam: organizando podemos desorganizar a ordem vigente

Balanço da ação feminista em tempos de pandemia

feminismo2Ativistas relatam: pandemia exigiu reorganização política. Mas, apesar do isolamento, redes solidárias foram construídas – e o autocuidado tornou-se essencial. Agora, novo embate: defender o direito das mulheres nas eleições de 2022

Sobre meninas, violência e o direito ao aborto

CriancaNaoEMae DivulgacaoProjetemosO mesmo Estado que punir e prendeu com rapidez a adolescente de João Pessoa fechou os olhos para as violências que ela sofreu ao longo dos anos; e, ao não permitir que realizasse um aborto, obrigou-a a ser mãe aos 10 anos

Por que o aborto ainda não é um direito no Brasil?

aborto outras palavrasNo Dia de Luta pela Legalização do Aborto na América Latina, frente nacional feminista questiona o atraso. Uruguai, Argentina e México conquistaram avanços, mas país de Bolsonaro insiste em negar direito mulheres ao próprio corpo

nosso voto2

...