Entre as sanções direcionadas a Thiago está o cancelamento da sua matrícula, ou seja, expulsão da universidade

MARCELO GOMES
MARCELO GOMES Portal A10+
 
 

A Universidade Federal do Piauí (UFPI) anunciou que formou uma comissão de sindicância para apurar as condutas de Thiago Mayson da Silva Barbosa, de 28 anos, suspeito de estuprar e matar a estudante de Jornalismo, Janaína Bezerra, de 22 anos, no último sábado (28), após uma calourada. Ele segue preso desde o dia do ocorrido. 

O reitor Viriato Campelo relatou à TV Antena 10 que a sindicância irá apurar as atitudes do suspeito para além da questão criminal, independente dos resultados da investigação policial e do processo. Entre as sanções direcionadas a Thiago está o cancelamento da sua matrícula, mesmo que ele venha a ser inocentado. O prazo é de 30 dias.

  

Thiago Mayson é suspeito de estuprar e matar Janaína Bezerra
Reprodução

   

A comissão vai se reunir para deliberar também sobre o fato do estudante estar bebendo dentro do campus, o que é proibido. A UFPI informou que Thiago Mayson tinha a chave da sala de estudo onde o estupro teria acontecido porque os alunos do mestrado, doutorado e iniciação científica de Matemática têm uma sala de estudo coletivo. A chave era compartilhada com outras 13 pessoas.

No dia do crime, um segurança da universidade flagrou Thiago com a blusa manchada de sangue e carregando a vítima desacordada em um corredor. Ao funcionário, o estudante relatou que a amiga tinha passado mal e estava procurando por socorro.

"Como pode o amigo de alguém estar passando mal e ele não chamar o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência)?", questionou o delegado Francisco Costa Baretta, diretor do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), responsável pela investigação, em entrevista ao R7.

>https://youtu.be/wwusp1jBVRs

Os seguranças e as amigas, que acompanharam Janaína na festa de recepção aos calouros, já prestaram depoimento no DHPP. Representantes da administração superior da universidade serão os próximos a serem intimados.

O delegado Barêtta afirmou ainda que pretende questionar a instituição sobre a segurança no campus, se existia autorização para a realização da festa e a duração do evento. Na sala de aula, onde o crime teria acontecido, os policiais encontraram manchas de sangue no colchão, na mesa e no chão. O material foi recolhido e encaminhado à perícia.

A Administração Superior da Universidade Federal do Piauí (UFPI), anunciou medidas relativas ao enfrentamento de questões ligadas à ocorrência que levou ao falecimento da aluna Janaina da Silva Bezerra.

Entre as providências, estão:

- instalação de Comissão de Sindicância Investigativa para apuração de eventuais responsabilidades administrativas no âmbito interno;

- acesso restrito, a partir de 22h, nas vias de circulação exclusivamente interna no campus Ministro Petrônio Portella - Teresina; 

suspensão da realização de eventos festivos até a regulamentação da matéria pelo devido Conselho Superior. Nesse período, excepcionalmente, esses eventos poderão ocorrer mediante solicitação formal do demandante e com autorização expressa do gestor do espaço;

- constituição de comissão para elaboração de protocolo oficial de enfrentamento à violência contra as mulheres no âmbito da UFPI, incluindo estratégias de sensibilização e educação permanente, em parceria com outras instituições do estado que também discutem a questão da violência de gênero, e considerando estudos, pesquisas e experiências já produzidas pela própria comunidade ufpiana;

- continuidade das ações de apoio à família de Janaína Bezerra, por meio da atuação da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Comunitários (PRAEC), que procederá a cuidados psicossociais, com visitas domiciliares por equipe multiprofissional, composta por psicólogos e assistentes sociais da instituição.

Confira a portaria que suspende eventos festivos na Universidade.

Amigos e familiares fazem ato em memória de Janaína Bezerra

Amigos, familiares e estudantes da Universidade Federal do Piauí (UFPI) realizaram na tarde desta segunda-feira (30) uma vigília no campus da instituição em memória da estudante de jornalismo, Janaína da Silva Bezerra. A jovem, de 22 anos, foi estuprada, morta e teve o pescoço quebrado após uma calourada que ocorreu nas dependências da instituição no último sábado (28).

  

Alunos e familiares pedem justiça pela morte de Janaína Bezerra

   

O ato, que contou a participação de outras entidades da comunidade acadêmica, foi convocado pelo Centro Acadêmico de Comunicação Social (Cacos), curso do qual Janaína era estudante. Além das homenagens e pedidos de justiça, os alunos protestaram pela falta de segurança na UFPI.

Janaína Bezerra era a primeira pessoa da família a cursar o ensino superior. Muito estudiosa, a jovem adorava ler e queria ser escritora. Em entrevista à TV Antena 10, a mãe da jovem, Maria do Socorro, pediu justiça e citou que perdeu uma parte do seu coração com a precoce partida da estudante de jornalismo.

 ufpi estupro morte estudante

Maria do Socorro, mãe de Janaína Bezerra, também esteve participando do ato. Bastante emocionada, a dona de casa pediu, por inúmeras vezes, justiça pela morte de sua filha. Ela relembrou que a jovem era dedicada, sonhadora e que queria mudar a vida dos familiares através do Jornalismo. Com o coração destruído, dona Socorro comentou que perdeu um pedaço que não volta nunca mais. 

"Tiraram a vida da minha filha, sonhadora, lutadora, vencendo pra ter uma vida melhor e achar um pra tirar a vida dela, estragou o sonho dela, que ela tinha sonho com a família e com os irmãos. Eu só peço uma coisa, justiça... que ela foi um pedaço de mim que não volta nunca mais. Nunca mais eu vou ver a minha filha. Toda hora eu choro, toda hora eu lembro dela.. Por que fizeram isso? Minha filha era muito importante pra mim. Nós lutamos por ela e ela estava lutando por nós que era pra ajudar a família e destruíram o sonho da minha filha. Eu quero justiça, justiça. Eu sou a mãe da Janaína. Eu quero justiça, estou clamando justiça por ela... não é por mim, é por ela", encerrou. 

O que diz o suspeito?

Thiago Mayson passou por audiência de custódia na tarde deste domingo (29). Em depoimento à polícia, ele contou que já conhecia a vítima e teriam “ficado” em outras ocasiões. Ele relatou que estavam em uma “calourada” na UFPI e que por volta das 2h convidou a jovem para seguirem a um corredor e em seguida se dirigiram a uma das salas de aula onde praticaram sexo consensual e que após a prática sexual a vítima teria ficado desacordada por duas ocasiões, sendo a última por volta das 4h.  

  

Suspeito de estuprar e matar estudante de jornalismo é preso
Reprodução

   

Ele alegou que permaneceu ao lado do corpo da vítima durante toda a madrugada e solicitou socorro à segurança da Universidade por volta das 9h de sábado (28), que conduziu a vítima ao Hospital da Primavera, onde foi constatado o óbito. Segundo o IML, a causa da morte aponta para trauma raquimedular por ação contundente, ou seja, houve uma contusão na coluna vertebral a nível cervical, o que causou lesão da medula espinhal e a morte.  

O delegado Barêtta, coordenador do DHPP, relatou ao A10+ que Janaína foi violentada em uma sala no prédio do Programa de Pós-Graduação em Matemática. Na sala foi encontrado um colchão ensanguentado. De acordo com a legista, a ação contundente pode ter sido causada por pancada, torcendo a coluna vertebral ou traumatizando, ação das mãos no pescoço com intuito de matar ou fazer asfixia, queda, luta, dentre outras possibilidades que estão sendo analisadas junto às investigações do caso.

Integrante do DCE afirma que UFPI era ciente de festas e reafirma problemas na segurança

A morte brutal da estudante de Jornalismo, Janaína Bezerra, voltou a evidenciar os problemas de segurança reclamados por alunos da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Ao A10+ a diretora de Comunicação do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Karla Luz, afirma que a instituição tinha ciência das festas e que as queixas sobre segurança já haviam sido repassadas. 

“A universidade tem ciência total de todos os acontecimentos. Essa responsabilidade eles não podem tirar de si. Embora eles digam que não e autorizado, eles sabem e os segurança vigiam lá, passam fazendo rondas as vezes, mas eles não ficam lá porque tem o detalhe que a segurança da UFPI é patrimonial. Eles vigiam o patrimônio”, explica. 

  

Integrante do DCE afirma que UFPI era ciente de festas e reafirma problemas na segurança
TV Antena 10

https://youtu.be/tpJRJzScl-8;

O DCE funciona dentro da universidade, no espaço do Centro de Ciências da Natureza (CCN). Nele funciona um espaço de integração que é cedida a partir de solicitações, geralmente arrecadação para eventos estudantis ou integrações culturais. Em nota, a UFPI informou que não autorizou a realização de uma calourada na instituição na última sexta-feira (27). 

A falta de segurança na Universidade Federal do Piauí (UFPI) já é tema recorrente entre alunos. Casos já repercutiram nos últimos anos e segundo Karla Luz, já houveram reuniões com a reitoria e os mesmos alegaram mudanças na segurança da instituição.

Mãe de estudante estuprada e morta na UFPI pede justiça: “Tirou um pedaço do meu coração”

Após a morte violenta da estudante de Jornalismo da UFPI, Janaína da Silva Bezerra, a família pede por justiça. À TV Antena 10, a mãe da jovem, Maria do Socorro, relatou que a filha não conhecia o suspeito, era uma jovem voltada aos estudos e lamentou a falta de segurança na universidade. Ela também acredita que uma segunda pessoa participou do crime. 

Thiago Mayson da Silva Barbosa, aluno do Programa de Pós-Graduação em Matemática da UFPI, é considerado o principal suspeito e teve a prisão preventiva decretada pela justiça do Piauí neste domingo (29). Janaína Bezerra, 22 anos, foi estuprada, morta e teve o pescoço quebradoapontou laudo do IML.

 

“Quando cheguei lá encontrei minha filha morta. Não acreditei, fiquei em desespero, fiquei sem saber o que fazer. Ele tirou a vida da minha filha e eu só quero justiça, justiça. Eu quero que ele pague. Eu quero que as pessoas grandes tenham mais cuidado, porque muitas mães já perderam. Lá dentro tem tudo. Vejo que tem sala fechada, não tem segurança, não tem nada”, afirmou Maria do Socorro. 

Maria do Socorro relatou que a polícia trabalha com a hipótese de um segundo suspeito de participação no estupro. A família não acredita que Thiago cometeu o crime sozinho.  

“Ele já ia desovar minha filha, a sorte é que esse rapaz ia passando e viu. O outro já ia passando no carro para botar minha filha. Eles são filhos de papaizinho, filho de papaizinho acha que pode tudo. Ele disse que costuma dividir. So um não dava conta porque minha filha foi muito machucada. Se fosse só um ela teria dado um jeito de escapar dele. Minha filha foi muito sofrida, nunca imaginei”, contou.

Quem era? 

Janaína da Silva Bezerra, 21 anos, morava com a família no Parque Brasil I, zona Norte de Teresina, e estava no 4º período do curso de Comunição Social (Jornalismo) na UFPI. Familiares relataram ao A10+ que ela era uma menina esforçada, humilde e que sonhava mudar a vida da família. Segundo eles, a jovem não tinha costume de chegar tarde em casa. 

Convite para calourada 

Um familiar contou ao A10+ que Janaína foi chamada por uma amiga para ir a uma calourada na UFPI na noite de sexta-feira (27). Horas depois, essa amiga foi embora e a jovem teria ficado no local na presença de um rapaz, apontado como principal suspeito de abusar sexualmente da vítima. A polícia ainda deverá ouvir a amiga acerca do caso. 

Governador do Piauí se posiciona 

Nas redes sociais, o governador Rafael Fonteles (PT) prestou condolências à família de Janaina e afirmou que os esforços da polícia neste momento estão voltados para solucionar o caso e punir os culpados.

“Nossos sentimentos à família da estudante Janaina Bezerra da Silva, morta na UFPI em circunstâncias ainda não totalmente esclarecidas. Nossa Polícia está trabalhando na apuração deste fato lamentável para que os responsáveis sejam punidos na forma da lei”, escreveu.

O que diz a UFPI?

A instituição alegou que não autorizou a realização da calourada e que a festa, promovida pelo DCE, ocorreu nas instalações do próprio Diretório, sediado no prédio do Centro de Ciências da Natureza (CCN). Em nota, o reitor da UFPI alegou que um processo administrativo será instaurado para esclarecer os fatos.

Veja abaixo a nota na íntegra:

Com imenso pesar, a Universidade Federal do Piauí (UFPI) comunica e lamenta profundamente que, na manhã de hoje (28), a Coordenadoria de Segurança e Vigilância da Instituição encontrou, no espaço da sede do Diretório Central dos Estudantes (DCE), no Campus de Teresina, uma jovem desacordada, que foi urgentemente levada, por equipe de seguranças da Universidade, para o Hospital da Primavera.

Até o momento da elaboração desta nota, não há identificação formal da vítima e divulgação de laudo pericial pelo órgão responsável. Todas as providências para colaborar com as investigações das autoridades policiais, como isolamento da referida área no campus e boletim de ocorrência, foram adotadas imediatamente pela UFPI. Além disso, a Universidade está efetuando o levantamento de todas as imagens captadas por câmeras de segurança.

O fato aconteceu em festa promovida pelo DCE, nas instalações do próprio Diretório, sediado no prédio do Centro de Ciências da Natureza (CCN), sem autorização de qualquer autoridade da Universidade.

A UFPI desaprova quaisquer eventos que adotem condutas que coloquem em risco a comunidade acadêmica, e preza pela segurança e bem estar de estudantes, professores e servidores técnico-administrativos, com a adoção de diversas estratégias constantemente divulgadas à comunidade.

As primeiras informações apontam para a ligação do fato a um suspeito já detido pelas autoridades policiais, após condução do mesmo por seguranças da UFPI. A Administração Superior continuará acompanhando as informações oficiais sobre o fato e se une à sociedade no desejo por justiça.

Na manhã deste sábado (28), o Reitor da UFPI determinou a imediata instauração de processo administrativo para apuração dos fatos, bem como a responsabilização dos envolvidos e disponibilizará todo o apoio que possa auxiliar no trabalho das autoridades policiais.

Este é um momento de grande dor e tristeza, que deixa consternada toda a comunidade ufpiana. A UFPI se solidariza com familiares e amigos da vítima, e se coloca à disposição para apoio e providências. Manifesta as mais sinceras condolências diante do triste acontecimento.

Matérias relacionadas

? Siga o A10+ no InstagramFacebook e Twitter.

Fonte: Portal A10+ - https://a10mais.com/noticias/policia/ufpi-abre-sindicancia-para-definir-punicao-de-mestrando-suspeito-de-estuprar-e-matar-janaina-bezerra-9941.html

 


Coloque seu email em nossa lista

Cfemea Perfil Parlamentar

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

Cfemea Perfil Parlamentar

Violência contra as mulheres em dados

Logomarca NPNM

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Estudo: Elas que Lutam

CLIQUE PARA BAIXAR

ELAS QUE LUTAM - As mulheres e a sustentação da vida na pandemia é um estudo inicial
sobre as ações de solidariedade e cuidado lideradas pelas mulheres durante esta longa pandemia.

legalizar aborto

Veja o que foi publicado no Portal do Cfemea por data

nosso voto2

...