Quase lá: Erika Hilton (PSOL) propõe “licença Maria da Penha” para vítimas de violência doméstica

A deputada federal Erika Hilton (PSOL) apresentou um projeto de lei para instituir licença remunerada do trabalho para vítimas de violência doméstica e familiar.


Foto: Mandato Erika Hilton

 

A proposta, batizada de “Licença Maria da Penha”, prevê direito a afastamento de quinze dias a trabalhadoras com carteira assinada, empregadas domésticas e estagiárias.

Conforme o projeto de lei, o benefício seria concedido mediante apresentação da concessão da medida protetiva de urgência ou boletim de ocorrência ao empregador.

O texto será entregue ao presidente Lula na próxima quarta-feira (8) em evento em que serão anunciadas medidas do governo para as mulheres no Palácio do Planalto.

“O tempo de licença remunerada justifica-se pela necessidade das trabalhadoras que sofreram violência em lidar com diversos assuntos concernente ao impacto direto dessa violação, como acesso ao sistema de saúde, aos cuidados e exames médicos, aos serviços policiais e ao sistema de justiça; apoio e suporte psicológico”, justifica o projeto.

A medida também protege as mulheres de seus agressores, que muitas vezes conhecem a rotina e endereço de trabalho e da residência da vítima.

“O período de afastamento dá às vítimas tempo para trocar de residência, protegendo a si mesmas e aos filhos, e a possibilidade de comparecer às audiências judiciais, reunindo também, às suas maneiras, forças para superar o ciclo da violência sem a preocupação de serem demitidas ou não aceitas de volta ao trabalho”, explica o texto.

fonte: https://psol50.org.br/erika-hilton-psol-propoe-licenca-maria-da-penha-para-vitimas-de-violencia-domestica/


Matérias Publicadas por Data

Artigos do CFEMEA

Coloque seu email em nossa lista

lia zanotta4
CLIQUE E LEIA:

Lia Zanotta

A maternidade desejada é a única possibilidade de aquietar corações e mentes. A maternidade desejada depende de circunstâncias e momentos e se dá entre possibilidades e impossibilidades. Como num mundo onde se afirmam a igualdade de direitos de gênero e raça quer-se impor a maternidade obrigatória às mulheres?

ivone gebara religiosas pelos direitos

Nesses tempos de mares conturbados não há calmaria, não há possibilidade de se esconder dos conflitos, de não cair nos abismos das acusações e divisões sobretudo frente a certos problemas que a vida insiste em nos apresentar. O diálogo, a compreensão mútua, a solidariedade real, o amor ao próximo correm o risco de se tornarem palavras vazias sobretudo na boca dos que se julgam seus representantes.

Violência contra as mulheres em dados

Cfemea Perfil Parlamentar

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Logomarca NPNM

Cfemea Perfil Parlamentar

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

legalizar aborto

...