Os conteúdos, ênfases e metodologias do 4º Curso Nacional Formação Política com Mulheres estiveram vinculados à construção da 7ª Marcha das Margaridas 2023, visando o fortalecimento, qualificação e mobilização das mulheres nesse processo.

 
 
Contag


02 de Dezembro de 2022


César Ramos

 

 

Cerca de 90 mulheres concluíram o Curso Nacional de Formação Política com Mulheres, organizado em três módulos presenciais nos meses de abril, julho e novembro e com atividades intermódulos ao longo desse período. O terceiro e último módulo foi realizado nos dias 28 de novembro a 02 de dezembro de 2023 e a TransFormatura, momento de coroação de todo esse processo formativo, aconteceu na noite desta quinta-feira (01) no auditório da CONTAG, em Brasília.


Os conteúdos, ênfases e metodologias do 4º Curso Nacional estiveram vinculados à construção da 7ª Marcha das Margaridas 2023, visando o fortalecimento, qualificação e mobilização das mulheres nesse processo.

O Eixo Temático do curso é Feminismo, gênero e ação sindical. A Unidade Temática do Módulo I foi "Sociedade, Patriarcado e luta das mulheres"; do II Módulo “Mulheres, Modos de Vida no Campo e a Luta por Desenvolvimento Sustentável com Justiça Social” e do III Módulo “Mulheres, política e vida sindical – conquistas, perspectivas e desafios”.


A TransFormatura das educandas da 4ª Turma Nacional – Margarida Alves, com a entrega dos certificados, foi um momento especial para todas as companheiras e para a CONTAG. A cerimônia foi coordenada por representantes da turma e contou com falas do presidente da CONTAG, Aristides Santos, da secretária de Mulheres, Mazé Morais, e secretária de Jovens, Mônica Bufon. Também foi apresentado um vídeo que revisitou momentos vividos ao longo dos três módulos.

“Essa TransFormatura tem um significado importante. Estamos com boas perspectivas para o novo governo. Nessa noite vamos comemorar com vocês e agradecer pela vida de cada um/a, dando continuidade a essa história de lutas e conquistas e juntos/as na reconstrução do País. Vamos fazer todo o possível para termos, no próximo ano, mais uma grande Marcha das Margaridas”, disse o presidente da CONTAG.

Mazé Morais também parabenizou as educandas na TransFormatura. “Vocês não estão aqui por acaso. Vocês se dedicaram nesses três módulos. Espero que a gente não perca essa amizade, essa relação próxima. Que nós sejamos as protagonistas e as articuladoras da Marcha em cada território. Às vezes a caminhada não é fácil, mas a troca de experiência coletiva torna tudo mais leve e mais fácil”, destacou.


Ao avaliar todo o percurso do Curso Nacional de Formação Política com Mulheres, Mazé destacou que essa é uma das estratégias de construção da Marcha das Margaridas. “A nossa ação não será realizada apenas nos dias 15 e 16 de agosto em Brasília. A Marcha tem todo um processo de formação, de mobilização, de articulação na base e também de análise da conjuntura do País. E esse processo formativo que concluímos é fundamental”, avaliou. 

A dirigente completou que as mulheres saíram bem animadas como articuladoras e mobilizadoras da Marcha das Margaridas nos seus territórios. “Enquanto secretária de Mulheres da CONTAG, saio satisfeita e pude perceber o quanto as mulheres saíram com esse compromisso. Terminando esse ciclo, essas mulheres vão dar continuidade ao processo fazendo o trabalho de base e toda a articulação para a nossa ação. Esse processo de formação também despertou as mulheres para algumas questões internas do movimento sindical, como a questão da participação política, da igualdade, os desafios que enfrentam, como o cumprimento da paridade e/ou da cota de, no mínimo, 50% nas Direções das entidades. O curso ajuda muito nessa reflexão e a avançar em várias questões”, ressaltou.

A companheira Maribel Moreira, secretária de Mulheres da FETAG-RS, é uma das formandas e faz uma avaliação importante sobre o processo formativo. “Participar da 4ª Turma do Curso Nacional de Formação Política com Mulheres, para mim, enquanto liderança e mulher, foi muito importante. Por ser uma das articuladoras da Marcha das Margaridas, saio com mais força, com mais ânimo também, saio com um grande suporte teórico sobre as lutas das mulheres, das Marchas que já passaram e isso me fortalece para que eu consiga motivar outras mulheres através do que eu aprendi aqui nesse processo formativo.”


Maribel ainda completa: “O processo formativo mexe com a nossa estrutura, mexe com alguns estereótipos que criamos, nós vivemos em uma sociedade capitalista, onde o patriarcado ainda é muito forte, racista, fascista e nós mulheres temos muitos desafios no nosso dia a dia. Juntamente com as mulheres do meu estado, precisamos fortalecer a nossa organização de mulheres, dar apoio e ser referência. Temos o dever de multiplicar todo esse conhecimento com as companheiras da nossa base e também para os homens, pois eles também precisam compreender a dimensão da Marcha, desmistificar essa ideia deles que a Marcha é uma ação apenas das mulheres e que falamos só de nós. Muito pelo contrário. A Marcha fortalece as mulheres do campo, da floresta e das águas, e também toda a agricultura familiar e o nosso movimento sindical.”

A Marcha das Margaridas é realizada a cada quatro anos e a próxima ocorrerá nos dias 15 e 16 de agosto de 2023, em Brasília/DF, e deve reunir mais de 100 mil mulheres de todo o Brasil e de outros países. O lema é “Margaridas em Marcha pela reconstrução do Brasil e pelo bem viver”.

 

fonte: 

 


Coloque seu email em nossa lista

Cfemea Perfil Parlamentar

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

Cfemea Perfil Parlamentar

Violência contra as mulheres em dados

Logomarca NPNM

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Estudo: Elas que Lutam

CLIQUE PARA BAIXAR

ELAS QUE LUTAM - As mulheres e a sustentação da vida na pandemia é um estudo inicial
sobre as ações de solidariedade e cuidado lideradas pelas mulheres durante esta longa pandemia.

legalizar aborto

Veja o que foi publicado no Portal do Cfemea por data

nosso voto2

...