O promotor de Justiça Daniel Bernoulli, da Promotoria do Tribunal do Júri do Paranoá, foi o convidado do ciclo de eventos do jornal desta terça-feira (03/10)

Promotor detalhou as etapas de um processo criminal, desde a ocorrência do fato até o julgamento -  (crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Promotor detalhou as etapas de um processo criminal, desde a ocorrência do fato até o julgamento - (crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

 

Foto de perfil do autor(a) Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 04/10/2023 06:00

Os procedimentos para a instauração de um processo criminal, desde o fato até a investigação e o julgamento, foram tema de palestra ministrada pelo promotor de Justiça Daniel Bernoulli, da Promotoria do Tribunal do Júri do Paranoá, à equipe do Correio Braziliense. A oficina, ocorrida ontem, visou ampliar os conhecimentos dos profissionais para a produção e a edição de conteúdos relacionados à temática das violências.

Daniel destacou a importância da realização dessa oficina para a troca de informações entre o Ministério Público e os jornalistas, a fim de criar um ambiente de discussão sobre todo o processo que acontece nos tribunais. "O contato com a imprensa nos ajuda a esclarecer algumas dúvidas. Nesses encontros, conseguimos passar a percepção exata de como as coisas acontecem, nomenclaturas, formas de referência a determinados atos que podem sair equivocados na imprensa", frisou.

Para o promotor, essa abertura com os meios de comunicação é de suma importância para passar as informações de forma correta ao público. "Na próxima matéria produzida acerca disso (julgamentos), os jornalistas que acompanharam a nossa conversa, hoje, terão mais segurança para usar os termos", enfatizou, relembrando que o estreitamento de laços entre o Ministério Público e a imprensa facilita a troca de informações entre ambos. "O jornalista terá condições de vir até nós para colher e passar a informação de qualidade para seu público", disse.

Feminicídio

A editora de política do Distrito Federal e titular da coluna Eixo Capital no Correio Braziliense, Ana Maria Campos, avaliou que a aula do promotor Daniel Bernoulli foi excelente. "Responsável pela acusação em casos de grande repercussão, como a chacina de uma família no Paranoá e em Planaltina, Daniel trouxe um panorama sobre como são julgados os crimes contra a vida no nosso país, processos complexos e com uma tramitação singular", assinalou. "Foi uma excelente contribuição para o aperfeiçoamento da nossa cobertura jornalística e para que a informação chegue com mais precisão ao nosso leitor", observou.

A oficina teve como público editores, subeditores, repórteres, infografistas, chargistas, fotógrafos e estagiários. Ao longo da palestra, o especialista explicou minuciosamente todas as etapas do processo criminal. O promotor comentou sobre alguns casos concretos e abriu espaço para que os profissionais do Correio tirassem suas dúvidas e colocassem pontos para acrescentar ao debate.

Um dos aspectos levantados foi a cobertura da imprensa nas ocorrências de feminicídio. "A partir do momento em que você proporciona mecanismos para que a mulher saia da 'aba' de seu algoz, esse cara não vai aceitar isso tão facilmente. E essas reações estão chegando mais fortemente", avaliou. Para o promotor Daniel Bernoulli, é preciso divulgar os casos, para que a sociedade não feche os olhos para os crimes que estão acontecendo contra as mulheres. 

Em agosto deste ano, a equipe do Correio Braziliense recebeu também a presidente da Comissão de Enfrentamento da Violência Doméstica da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF), Cristina Tubino, que discutiu as coberturas jornalísticas em casos de violência doméstica. Ao longo da palestra, a especialista abordou os tipos e os ciclos da violência, além de detalhar a Lei Maria da Penha, entre outros tópicos. 

 *Texto de José Augusto Limão, estagiário sobre a supervisão de Malcia Afonso

 

  •  Oficina para capacitar profissionais na produção e edição de conteúdos para coberturas jornalísticas sobre violência doméstica, com o  promotor de Justiça Daniel Bernoulli, da Promotoria do Tribunal do Júri do Paranoá.
    Oficina para capacitar profissionais na produção e edição de conteúdos para coberturas jornalísticas sobre violência doméstica, com o promotor de Justiça Daniel Bernoulli, da Promotoria do Tribunal do Júri do Paranoá.Foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press
 
 

fonte: https://www.correiobraziliense.com.br/cidades-df/2023/10/5130709-correio-promove-oficina-sobre-cobertura-de-casos-de-violencia-domestica.html


Coloque seu email em nossa lista

Cfemea Perfil Parlamentar

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

Cfemea Perfil Parlamentar

Violência contra as mulheres em dados

Logomarca NPNM

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Estudo: Elas que Lutam

CLIQUE PARA BAIXAR

ELAS QUE LUTAM - As mulheres e a sustentação da vida na pandemia é um estudo inicial
sobre as ações de solidariedade e cuidado lideradas pelas mulheres durante esta longa pandemia.

legalizar aborto

Veja o que foi publicado no Portal do Cfemea por data

nosso voto2

...