Economista norte-americana Claudia Goldin venceu o Nobel por conseguir comprovar em sua pesquisa a disparidade salarial entre gêneros

Metrópoles

Reprodução/Princeton University Press
Imagem colorida da historiadora econômica Claudia Goldin - Metrópoles

A historiadora econômica norte-americana Claudia Goldin foi nomeada vencedora do Prêmio Nobel de Economia nesta segunda-feira (9/10). Ela entra para a história como a terceira mulher a vencer a categoria.

A última edição da categoria na premiação dividiu o prêmio entre os economistas Ben Bernanke, Douglas Diamond e Philip Dybvig. O trio desenvolveu modelos teóricos que explicam por que os bancos existem, como seu papel na sociedade os torna vulneráveis ​​e como a sociedade pode diminuir essa vulnerabilidade.

Goldin é professora de economia na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos da América (EUA). Também é codiretora do Grupo de Estudo de Gênero na Economia do Bureau Nacional de Pesquisa Econômica (NBER), e já foi diretora do programa de Desenvolvimento da Economia Americana do mesmo instituto por 28 anos.

Claudia é laureada pela premiação devido à comprovação de seus estudos, que explicaram a disparidade salarial e de oportunidade entre homens e mulheres, conhecida como gender gap (“lacuna de gênero”, em tradução livre).

Ela agora integra a lista de 92 vencedores conhecidos como os melhores e mais influentes economistas do século. Desde a criação do Nobel de Economia, apenas duas mulheres haviam vencido a categoria: Elinor Ostrom, em 2009, e Esther Duflo, em 2019. Agora, Claudia Goldin integra a lista.

Além de Claudia Goldin, outros nomes do Nobel

São originalmente cinco categorias: Física, Química, Psicologia ou Medicina, Literatura e Paz. O prêmio de Economia foi adicionado em 1968.

Foram laureados os vencedores de Física, com os pesquisadores de elétron Pierre Agostini, Ferenc Krausz, e Anne L’Huillier; Paz, pela ativista iraniana Narges Mohammadi; Medicina, para a húngara Katalin Karikó e o norte-americano Drew Weissman; Química, com Moungi Bawendi, Louis E. Brus e Alexey Ekimov; Literatura, para o norueguês Jon Fosse; e Economia, com Claudia Goldin.

fonte: https://www.metropoles.com/mundo/claudia-goldin-nobel-economia

Nobel de Economia premia americana por pesquisa sobre mulheres no trabalho

Claudia Goldin vasculhou os arquivos e recolheu mais de 200 anos de dados dos EUA, o que lhe permitiu demonstrar as diferenças de gênero nas taxas de emprego ao longo do tempo

O Prêmio Nobel de Economia foi concedido à economista americana Claudia Goldin       -  (crédito:  JONATHAN NACKSTRAND / AFP)
O Prêmio Nobel de Economia foi concedido à economista americana Claudia Goldin - (crédito: JONATHAN NACKSTRAND / AFP)
Foto de perfil do autor(a) Aline Gouveia
Aline Gouveia - Correio Braziliense
postado em 09/10/2023 07:38

O Nobel de Economia foi concedido à economista norte-americano Claudia Goldin, por pesquisas sobre mulheres no mercado de trabalho. Terceira mulher a obter essa premiação, a professora da Universidade de Harvard foi laureada por descobrir os principais impulsionadores das diferenças de gênero em empregos. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (9/10).

"As mulheres estão muito sub-representadas no mercado de trabalho global e, quando trabalham, ganham menos que os homens. Claudia Goldin vasculhou os arquivos e recolheu mais de 200 anos de dados dos EUA, o que lhe permitiu demonstrar como e porquê as diferenças de gênero nos rendimentos e nas taxas de emprego mudaram ao longo do tempo", explicou a Real Academia Sueca de Ciências. 

 

 

Segundo a pesquisa desenvolvida pela economista, a participação feminina no mercado de trabalho não teve uma tendência de ascendente, mas sim de uma curva em formato de "U". Isso porque a presença das mulheres casadas diminuiu com a transição de uma sociedade agrária para uma sociedade industrial no início do século XIX, mas depois começou a aumentar com o crescimento do setor dos serviços no início do século XX.

Ao longo das pesquisas, Goldin destacou que o acesso à pílula contraceptiva desempenhou um papel importante na aceleração da maior participação de mulheres no mercado de trabalho, pois ofereceu novas oportunidades para o planejamento de carreira. 

“Compreender o papel da mulher no trabalho é importante para a sociedade. Graças à investigação inovadora de Claudia Goldin, sabemos agora muito mais sobre os fatores subjacentes e quais as barreiras que poderão ter de ser abordadas no futuro”, afirma Jakob Svensson, presidente do Comité do Prémio em Ciências Econômicas.

O Nobel é dividido em seis áreas: medicina, física, química, literatura, paz, economia. Os vencedores de cada categoria dividem um prêmio de 11 milhões de coroas suecas (equivalente a US$ 994 mil ou R$ 5 milhões).

fonte: https://www.correiobraziliense.com.br/economia/2023/10/5132241-nobel-de-economia-premia-americana-por-pesquisa-sobre-mulheres-no-trabalho.html

 


Coloque seu email em nossa lista

Cfemea Perfil Parlamentar

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

Cfemea Perfil Parlamentar

Violência contra as mulheres em dados

Logomarca NPNM

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Estudo: Elas que Lutam

CLIQUE PARA BAIXAR

ELAS QUE LUTAM - As mulheres e a sustentação da vida na pandemia é um estudo inicial
sobre as ações de solidariedade e cuidado lideradas pelas mulheres durante esta longa pandemia.

legalizar aborto

Veja o que foi publicado no Portal do Cfemea por data

nosso voto2

...