A crise sanitária da Covid-19 fez transbordar as diversas faces da desigualdade social presentes no Brasil. Dentre elas a fome, que infelizmente voltou a ser protagonista, trazendo o Brasil para o mapa da fome com mais 33 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar grave.

Refletindo sobre a pesquisa realizada no Complexo do Alemão em 2019, com a parceria com Instituto Raízes em Movimento, o Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas – Ibase decide fazer uma série histórica para rever as condições de vida, acesso e violações de direitos no Complexo do Alemão após 2 anos de pandemia de Covid-19. Neste segundo momento (2022/2023) o Ibase contou com as parcerias da Ong Educap e Instituto Raízes em Movimento, ambas organizações que atuam com pesquisa, educação, comunicação e direitos humanos.

A partir dos resultados das pesquisas construímos os “Indicadores de Cidadania do Ibase – Insegurança Alimentar no Complexo do Alemão”, esses indicadores revelam a instabilidade alarmante no acesso ao direito à alimentação no território.

Entre famílias que têm crianças de 0 a 6 anos de idade, 83% delas convivem ou conviveram com algum nível de insegurança alimentar de moderada a grave nos últimos três anos e 11% dessas famílias relatam que suas crianças já ficaram um dia todo sem se alimentar porque não havia dinheiro para comprar comida.

Esses dados evidenciam que fatores como instabilidade financeira e social estão diretamente ligados à insegurança alimentar e nutricional, pois diz respeito aos moradores adultos. 40,3 % já tiveram que diminuir a quantidade de alimentos nas refeições ou pularam refeições pois não havia condições de adquirir alimentos e 42% usaram a mesma estratégia para que as crianças pudessem comer.

No total da amostra pesquisada, 53% dos moradores do Complexo do Alemão, convivem com insegurança alimentar grave, 15% em Insegurança alimentar moderada, 12% em Insegurança alimentar leve e apenas 20% está em segurança alimentar.

Os dados evidenciam as violações no acesso ao direito à alimentação sofridas pelos moradores do Complexo do Alemão, mas provavelmente também reflete a realidade de grande parte dos moradores de favelas e periferias do Rio de Janeiro, onde o acesso a direitos básicos para manutenção da vida de forma digna, permanecem sendo historicamente violados.

* Joice Lima é pesquisadora do Ibase e Rita Brandão é diretora do Ibase

Artigo publicado originalmente pelo jornal O Dia, em 16 de outubro de 2023.

#indicadoressociais #complexodoalemao #ibasebetinho #fome #insegurançaalimentar

fonte: https://ibase.br/quem-passa-fome-no-brasil-um-retrato-do-complexo-do-alemao/

 


Coloque seu email em nossa lista

Cfemea Perfil Parlamentar

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

Cfemea Perfil Parlamentar

Violência contra as mulheres em dados

Logomarca NPNM

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Estudo: Elas que Lutam

CLIQUE PARA BAIXAR

ELAS QUE LUTAM - As mulheres e a sustentação da vida na pandemia é um estudo inicial
sobre as ações de solidariedade e cuidado lideradas pelas mulheres durante esta longa pandemia.

legalizar aborto

Veja o que foi publicado no Portal do Cfemea por data

nosso voto2

...