José Alberto Moreno Mendes, de 47 anos, foi assassinado no Território Quilombola Monge Belo, em Itaipuaçu-Mirim, no Maranhão.

Agência Brasil

Continuam as investigações sobre a morte do líder quilombola José Alberto Moreno Mendes, na última sexta-feira (27/10), em frente à casa onde morava, no Território Monge Belo, em Itapecuru-Mirim, a 120 km da capital do Maranhão, São Luís.  

Os pistoleiros estavam em uma moto e dispararam cinco vezes contra a vítima de 47 anos.

O assassinato de Doka, como era conhecido, levou o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos a emitir nota pedindo intervenção da segurança pública estadual para apurar o caso.  

O Conselho lembrou que pelo menos 50 quilombolas foram assassinados no estado, nos últimos dezoito anos.        

De acordo com a Campanha Nacional de Combate à Violência no Campo, quatro, em cada dez assassinatos, ocorreram no Maranhão.

O Território Monge Belo abriga atualmente 257 famílias e espera por titulação desde 2004. Em junho de 2015, o Incra publicou uma Portaria de Reconhecimento do território de Monge Belo.

O Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania lamentou o assassinato do líder quilombola. A pasta informou que outras 167 comunidades quilombolas do Maranhão aguardam a titulação do território; e disse que o reconhecimento oficial da posse da terra seria essencial para trazer segurança jurídica e acabar com os conflitos.

A Conferência Nacional dos Bispos também lamentou a morte de José Alberto.

A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão informou que uma equipe do Instituto de Criminalística foi enviada para fazer a perícia no local do crime e que a Polícia Civil está investigando, mas não deu detalhes sobre a apuração.

 

Fonte: Agência Brasil > https://agenciabrasil.ebc.com.br/radioagencia-nacional/geral/audio/2023-10/policia-investiga-morte-de-lider-quilombola-assassinado-no-maranhao 


Coloque seu email em nossa lista

Cfemea Perfil Parlamentar

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

Cfemea Perfil Parlamentar

Violência contra as mulheres em dados

Logomarca NPNM

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Estudo: Elas que Lutam

CLIQUE PARA BAIXAR

ELAS QUE LUTAM - As mulheres e a sustentação da vida na pandemia é um estudo inicial
sobre as ações de solidariedade e cuidado lideradas pelas mulheres durante esta longa pandemia.

legalizar aborto

Veja o que foi publicado no Portal do Cfemea por data

nosso voto2

...