Encontro na USP busca analisar o avanço da educação em termos raciais, a partir da inclusão das leis 10.639/03 e 11.645/08, que instituem a obrigatoriedade do ensino da história e cultura afro-brasileira, africana e indígena

Publicado: 06/11/2023
Por
A Faculdade de Educação da USP realiza a 7ª edicão do Encontro de Educação para as Relações Étnico-Raciais neste mês de novembro – Ilustração: Reprodução/Freepik

 

Denise Carreira – Foto: Arquivo pessoal

Entre 6 e 14 de novembro, a Faculdade de Educação (FE) da USP vai realizar a 7ª edição do Encontro de Educação para as Relações Étnico-Raciais (Erer). O evento reúne pesquisadores e professores para debater balanços e perspectivas futuras da Lei nº 10.639/03 e da Lei nº 11.645/08, que completam 20 e 15 anos, respectivamente. O encontro acontece em modalidade híbrida, presencialmente na FE e na Casa de Cultura Japonesa, e on-line pelo canal do YouTube da Faculdade

A 7ª edição do Erer pretende refletir sobre o apagamento social dos costumes, conhecimentos, saberes e crenças de populações negras e dos povos indígenas. “Nós vamos abordar as estratégias de resistências e de anúncios frente aos epistemicídios das culturas e conhecimento indígenas, africanas e afro-brasileiras”, afirma Denise Carreira, professora da FE e integrante da comissão organizadora do encontro. Segundo ela, ainda há muita resistência na aplicação das  leis 10.639 e 11.645, que instituem a obrigatoriedade da inclusão das culturas afro-brasileira, africana e indígena nos sistemas de ensino.

Eduardo Januário – Arquivo pessoal

“Nesta edição, com base no tema central, vamos abordar várias agendas, como o desafio de um financiamento educacional que enfrente as desigualdades étnico-raciais, a pedagogia hip-hop, a formação de professores, o papel da literatura, do cinema e da música na reeducação das relações étnico-raciais, mobilizando vivências, rodas de conversas, lançamentos de livros e muitas outras atividades”, destaca Eduardo Januário, professor da FE e integrante da comissão organizadora do evento. A programação completa, com a descrição de cada palestra, pode ser vista no link.

A 7ª edição do Erer conta com o apoio da Pró-Reitoria de Inclusão e Pertencimento (PRIP), do Programa de Pós-Graduação da FE e dos grupos de pesquisa Ijoba Moyami e Fateliku. A comissão organizadora é formada por docentes da FE e estudantes da pós-graduação.

Serviço:

7ª edição do Encontro de Educação para as Relações Étnico-Raciais (ERER)

Entre os dias 6 e 14 de novembro

Em modalidade híbrida, presencialmente na FE, situada na Av. da Universidade, 308, e na Casa de Cultura Japonesa, localizada na Av. Prof. Lineu Prestes, 159; e on-line pelo canal de YouTube da Faculdade

A programação completa pode ser vista no link

Mais informações: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. / @ererfeusp2023

*Sob supervisão de Tabita Said e Antonio Carlos Quinto

 

fonte: https://jornal.usp.br/diversidade/especialistas-propoem-educacao-etnico-racial-para-dar-voz-a-pessoas-negras-e-indigenas/

 


Coloque seu email em nossa lista

Cfemea Perfil Parlamentar

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

Cfemea Perfil Parlamentar

Violência contra as mulheres em dados

Logomarca NPNM

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Estudo: Elas que Lutam

CLIQUE PARA BAIXAR

ELAS QUE LUTAM - As mulheres e a sustentação da vida na pandemia é um estudo inicial
sobre as ações de solidariedade e cuidado lideradas pelas mulheres durante esta longa pandemia.

legalizar aborto

Veja o que foi publicado no Portal do Cfemea por data

nosso voto2

...