Série conta a história da mulher que emprestou o nome à lei e como essa legislação contribuiu no enfrentamento à violência contra mulheres

Publicado em 27/11/2023 19h08 Ministério das Mulheres

 

Uma websérie sobre a Lei Maria da Penha irá inaugurar o canal do Ministério das Mulheres na plataforma YouTube, nesta terça-feira (28/11). O lançamento acontece no período chamado de "21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres", que, no Brasil, inicia em 20 de novembro - Dia da Consciência Negra - e encerra em 10 de dezembro - data em que foi proclamada a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Em escala mundial, a celebração ocorre em 25 de novembro, Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher.

Dividida em quatro episódios, a produção “Maria da Penha - Retrato do Brasil” começa com a história da hoje militante dos direitos das mulheres Maria da Penha, que sofreu duas tentativas de feminicídio por parte do ex-marido. O caso resultou na aprovação da Lei que leva seu nome, em 2006, após o Brasil ser condenado, em 2002, pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos, por negligência e omissão em relação a este e outros casos de violência doméstica. O agressor de Maria da Penha, Marco Antonio Heredia Viveros, foi preso apenas 19 anos após o ocorrido, ficando três anos em regime fechado, mesmo tendo sido condenado duas vezes por tentativa de homicídio qualificado, em 1991 e 1996 - a Lei do Feminicídio foi sancionada em 2015.

Em tom motivacional, o segundo episódio da série mostra um pouco do trabalho de mulheres que atuam no enfrentamento à violência doméstica e familiar. Uma das personagens é a coordenadora do Centro de Referência Estadual da Mulher do Piauí, Joelfa Farias, que percorre o Estado no “Ônibus Lilás” falando sobre a Lei Maria da Penha, realizando oficinas, rodas de conversa e outras atividades. Ela prega a mobilização coletiva de mulheres para combater a violência dentro e fora dos domicílios.

Os dois episódios finais continuam concentrando-se na Lei Maria da Penha, primeiro contando um pouco da mobilização e articulação das mulheres para a elaboração da lei. Entre as entrevistadas no episódio, a atual ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, que à época era secretária Nacional de Enfrentamento à Violência contra Mulheres da Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM), então vinculada à Presidência da República. Também entrevistada no episódio, a deputada federal Jandira Feghali, que foi relatora da Lei, destacou o caráter participativo da construção da legislação: “Não foi feita em gabinete, mas a partir de viagens por todo o país, para saber como a violência contra a mulher acontecia no Brasil”.

Por fim, no último episódio, advogadas que atuam na área falam do que mudou no Judiciário a partir da entrada em vigor da Lei Maria da Penha. São ouvidas a advogada feminista Myllena Calazans, integrante do Consórcio Maria da Penha; a ex-ouvidora da SPM Ana Paula Schwelm; e a professora e especialista em direitos das mulheres Soraia Mendes.

O primeiro episódio estará disponível no canal youtube.com/@min.dasmulheres a partir das 6h desta terça. Os demais episódios serão publicados nas terças-feiras seguintes, dias 5, 12 e 19 de dezembro.

 

Atendimento exclusivo à imprensa:

Assessoria de Comunicação Social do Ministério das Mulheres

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. | (61) 2027-3676/3629

fonte: https://www.gov.br/mulheres/pt-br/central-de-conteudos/noticias/2023/novembro/webserie-sobre-lei-maria-da-penha-inaugura-canal-do-ministerio-das-mulheres-no-youtube

 

 


Artigos do CFEMEA

Coloque seu email em nossa lista

Cfemea Perfil Parlamentar

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

Cfemea Perfil Parlamentar

Violência contra as mulheres em dados

Logomarca NPNM

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Estudo: Elas que Lutam

CLIQUE PARA BAIXAR

ELAS QUE LUTAM - As mulheres e a sustentação da vida na pandemia é um estudo inicial
sobre as ações de solidariedade e cuidado lideradas pelas mulheres durante esta longa pandemia.

legalizar aborto

Veja o que foi publicado no Portal do Cfemea por data

nosso voto2

...