Quase lá: Três teólogas negras são preteridas em favor de um presbítero. Nota de solidariedade às candidatas à docente na faculdade de teologia da PUC-SP

"Diante disso, indagamos: qual terá sido o critério oculto para a escolha e contratação do candidato que ficou na quarta colocação? Ser homem e clérigo? A decisão final coube ao arcebispo de São Paulo e Grão Chanceler da PUC-SP", aponta a Rede TeoMulher, em nota de solidariedade às três teólogas primeiras classificadas no processo seletivo da PUC-SP.

 

IHU

De acordo com o texto, "as candidatas selecionadas, que atendiam aos requisitos e indicação de preferência no edital para a docência, eram três mulheres negras. Porém, procedeu-se à contratação de um homem e clérigo, o quarto colocado".

Eis a nota.

A Rede TeoMulher manifesta a sua estranheza e indignação pela misoginia e pelo clericalismo no resultado da seleção de candidatos/as à vaga de docente no PPG em Teologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo — PUC-SP. Segundo o edital, a única vaga docente a ser preenchida deveria ser destinada a candidatos(as) negros(as) pretos(as) e pardos(as), com preferência para a contratação do sexo feminino. As três primeiras colocadas foram:

1) Marina Aparecida Oliveira dos Santos Correa;

2) Cleusa Caldeira;

3) Célia Maria Ribeiro.

As candidatas selecionadas, que atendiam aos requisitos e indicação de preferência no edital para a docência, eram três mulheres negras. Porém, procedeu-se à contratação de um homem e clérigo, o quarto colocado.

Diante disso, indagamos: qual terá sido o critério oculto para a escolha e contratação do candidato que ficou na quarta colocação? Ser homem e clérigo? A decisão final coube ao arcebispo de São Paulo e Grão Chanceler da PUC-SP. A escolha ignorou que três mulheres negras estavam melhor classificadas, assim como foi ignorada a indicação do edital “preferencialmente do sexo feminino”. Nossa perplexidade nos leva a questionar a transparência do processo e até mesmo das normas do edital que, nas entrelinhas, dá a oportunidade para que outros critérios, que não os expostos, sejam seguidos.

Como teólogas, manifestamos nossa solidariedade às três candidatas, primeiras colocadas, e injustamente desconsideradas na escolha final. Desejamos que estas pedras cortantes da misoginia, da desigualdade de gênero e de raça sejam paulatinamente retiradas do caminho das escolas teológicas, se estas quiserem ser, de fato, reconhecidas por sua excelência, transparência e coerência com as orientações do Papa Francisco que, tão enfaticamente, tem se pronunciado contra o clericalismo e as injustiças dele provindas.

Leia mais

fonte: https://www.ihu.unisinos.br/638087-tres-teologas-negras-sao-preteridas-em-favor-de-um-presbitero-nota-de-solidariedade-as-candidatas-a-docente-na-faculdade-de-teologia-da-puc-sp

 


Matérias Publicadas por Data

Artigos do CFEMEA

Coloque seu email em nossa lista

lia zanotta4
CLIQUE E LEIA:

Lia Zanotta

A maternidade desejada é a única possibilidade de aquietar corações e mentes. A maternidade desejada depende de circunstâncias e momentos e se dá entre possibilidades e impossibilidades. Como num mundo onde se afirmam a igualdade de direitos de gênero e raça quer-se impor a maternidade obrigatória às mulheres?

ivone gebara religiosas pelos direitos

Nesses tempos de mares conturbados não há calmaria, não há possibilidade de se esconder dos conflitos, de não cair nos abismos das acusações e divisões sobretudo frente a certos problemas que a vida insiste em nos apresentar. O diálogo, a compreensão mútua, a solidariedade real, o amor ao próximo correm o risco de se tornarem palavras vazias sobretudo na boca dos que se julgam seus representantes.

Violência contra as mulheres em dados

Cfemea Perfil Parlamentar

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Logomarca NPNM

Cfemea Perfil Parlamentar

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

legalizar aborto

...