Candidata à Prefeitura em 2020, ex-deputada admitiu que, na eleição passada, esquerda não esteve unida

Por
Sul 21
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
 

Manuela D'Ávila. Foto: Luiza Castro/Sul21
 

 

Em meio ao burburinho sobre quem serão os candidatos da chapa de esquerda à Prefeitura de Porto Alegre em 2024, Manuela D’Ávila, candidata da coligação PCdoB/PT em 2020, fez uma postagem nas redes sociais nesta terça-feira (24) defendendo prévias com participação popular. “Precisamos ouvir os recados das urnas para construir uma alternativa competitiva para cidade. Essa candidatura deve, na minha opinião, ser a expressão da nossa unidade e de nosso esforço para a amplitude política”, escreveu Manuela.

A ex-deputada observou ainda que acredita que as prévias podem ser um bom caminho e que já defendia isso em 2020, mas que o processo deveria ser mais aberto, e não apenas uma indicação de nomes dos partidos a serem votados pelos próprios integrantes das siglas. “Eu acredito que mais do que indicações das federações e dos partidos (não há nenhuma razão para cada federação ter apenas um nome), deveríamos pensar num processo muito mais aberto. Em que a cidade tivesse liberdade para se inscrever e a população (pré-inscrita) pudesse votar. Assim, não estaríamos apenas reproduzindo e legitimando a lógica das disputas internas partidárias ou das federações”, defendeu.

Manuela mencionou ainda a disputa de 2020, na qual teve “a honra de representar um projeto alternativo de cidade” que levou a esquerda ao segundo turno na Capital pela primeira vez em 14 anos. Além de questionar as armas usadas pelos opositores para a vitória, admitiu que a esquerda também cometeu erros: “Mesmo diante da tragédia da pandemia, a esquerda não esteve unida, não conseguimos ampliar partidariamente”, disse ela.

Um dos destaques feitos por Manuela, foi a Bancada Negra, eleita em 2020 para a Câmara e em, 2022, para a Assembleia Legislativa. Nas palavras da ex-deputada, “um recado importante das urnas sobre a necessidade de uma política muito menos burocratizada, muito mais próxima da vida dura de nosso povo nas comunidades”.

Também nesta terça, representantes do Movimento Negro Unificado do Estado do Rio Grande do Sul (MNU-RS) iniciaram uma rodada de conversas com os partidos do campo progressista de Porto Alegre para discutir as eleições municipais de 2024. A primeira conversa foi com a presidente do PT municipal, Maria Celeste, para quem entregaram a carta pública intitulada “O Combate ao Racismo, a cidade de Porto Alegre e o Papel do MNU em 2024”. O MNU indicou recentemente o deputado estadual Matheus Gomes (PSOL), filiado ao movimento e membro da primeira Bancada Negra na Câmara e na AL-RS, para compor uma chapa de unidade dos partidos do campo para a disputa da Prefeitura.

Na postagem de hoje, Manuela também afirma que não é candidata à Prefeitura: “Sou candidata a militar como se fosse candidata, conversando com milhares de pessoas, em cada esquina, para que nosso povo seja tratado com respeito e viva com dignidade, para que um projeto de cidade justa seja construído”.

fonte: https://sul21.com.br/noticias/politica/2023/10/manuela-defende-previas-com-participacao-popular-para-eleicao-em-porto-alegre/

 


Artigos do CFEMEA

Coloque seu email em nossa lista

Cfemea Perfil Parlamentar

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

Cfemea Perfil Parlamentar

Violência contra as mulheres em dados

Logomarca NPNM

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Estudo: Elas que Lutam

CLIQUE PARA BAIXAR

ELAS QUE LUTAM - As mulheres e a sustentação da vida na pandemia é um estudo inicial
sobre as ações de solidariedade e cuidado lideradas pelas mulheres durante esta longa pandemia.

legalizar aborto

Veja o que foi publicado no Portal do Cfemea por data

nosso voto2

...