As medidas potencializarão a iniciativa Brasil sem Misoginia para o Carnaval e contribuirão para o avanço da implementação do protocolo “Não É Não”

Publicado em 10/01/2024 16h54 Atualizado em 10/01/2024 17h07  - Ministério das Mulheres
Ministérios das Mulheres e do Turismo alinham ações para proteção das mulheres durante o Carnaval. Foto: Pedro França/MTur

 

O período do Carnaval movimenta o turismo brasileiro, gerando emprego e renda em várias regiões do país e contribuindo, de forma importante, para o crescimento da economia nacional. Por isso, estimular a vinda de turistas é ação prioritária do Governo Federal. No entanto, é preciso que o visitante tenha responsabilidade com o meio ambiente e com a população local.

 

Por isso, os ministérios do Turismo e das Mulheres estão alinhando uma campanha de proteção à violência de gênero e de combate ao assédio e à importunação sexual durante o período carnavalesco. As medidas envolverão o trade turístico, principalmente os segmentos de hotéis, pousadas, bares, restaurantes e casas noturnas. Entre os pontos discutidos estão, por exemplo, a possibilidade de criação de uma cartilha para gestores de bares e restaurantes.

A reunião dos ministros do Turismo, Celso Sabino, e das Mulheres, Cida Gonçalves, contou com a presença do presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fornatur), Fabrício Amaral, e com representantes da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). Ambos garantiram apoio na proteção às mulheres.

“O Brasil é reconhecido como um país de grande hospitalidade, mas não podemos permitir que essa característica seja confundida com a liberdade ou disponibilidade que muitos turistas, infelizmente, ainda acreditam que as nossas brasileiras têm”, enfatizou o ministro do Turismo, Celso Sabino.

As ações potencializam a iniciativa Brasil sem Misoginia para o Carnaval e contribuirão para o avanço da implementação do protocolo “Não É Não”, destinado a prevenir o constrangimento e a violência contra as mulheres em ambientes nos quais sejam vendidas bebidas alcoólicas, como casas noturnas, boates e casas de espetáculos musicais em locais fechados ou shows.

"É no Carnaval que muitas mulheres são vítimas de abuso e outras violências. Com essa campanha, queremos tornar o Carnaval e outras festas nacionais mais seguras para mulheres e meninas", disse a ministra das Mulheres, Cida Gonçalves.

No Brasil, 45% das mulheres já tiveram o corpo tocado sem consentimento em local público, segundo pesquisa do IPEC com o Instituto Patrícia Galvão de 2022.

por Paula Rosa

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

fonte: https://www.gov.br/mulheres/pt-br/central-de-conteudos/noticias/2024/ministerios-das-mulheres-e-do-turismo-alinham-acoes-para-protecao-das-mulheres-durante-o-carnaval

 


Artigos do CFEMEA

Coloque seu email em nossa lista

Cfemea Perfil Parlamentar

Informe sobre o monitoramento do Congresso Nacional maio-junho 2023

Cfemea Perfil Parlamentar

Violência contra as mulheres em dados

Logomarca NPNM

Direitos Sexuais e Reprodutivos

logo ulf4

Estudo: Elas que Lutam

CLIQUE PARA BAIXAR

ELAS QUE LUTAM - As mulheres e a sustentação da vida na pandemia é um estudo inicial
sobre as ações de solidariedade e cuidado lideradas pelas mulheres durante esta longa pandemia.

legalizar aborto

Veja o que foi publicado no Portal do Cfemea por data

nosso voto2

...